quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

II Roda de conversa "Ciganos: memória, identidade e resistência"

Nós da União Cigana do RN, Agradecemos a oportunidade de participar da visita ao santuário da santa cigana encontrada no município de Florânia, Gostaríamos também de agradecer a todos os que fizeram parte desse trabalho maravilhoso coordenado pelo nosso amigo Prof. Flávio José de Oliveira e a Profª Maria do Carmo da Silva, pessoas maravilhosas que iniciaram todo o trabalho com os ciganos do estado a aproximadamente 15 anos e que tratam a questão cigana com todo o carinho a que se deve.

A II roda de Conversa aconteceu em Floraania, na Escola Estadual Macária Giffone, e como o previsto, Foi um sucesso. estiveram presentes os ciganos da comunidade, lideranças de tangara e serra caiada, o Centro de Referencia em  CRDH,  Membros da Secretaria de Educação, Equipe da Coordenadoria Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - COEPPIR, UFRN – Departamento de Antropologia Visual 
UFRN – CERES Caicó e Currais Novos, CEAT – Centro de Ações Educativas e Transformadoras
Pastoral Social da Arquidioce Metropolitana de Natal/RN , DHNET – Centro de Direitos Humanos e memória popular do RN, etc..

Na ocasião foram abordados vários temas, com foco na perca cultural oriunda da discriminação com relatos das ciganas que estavam presente, dos professores da Escola, e de outros participantes, Esse Evento foi de grande contribuição cultural para o povo cigano, pois abordaram muitos outros temas que merecem nossa atenção. 

"Eu estrou aqui morta de vergonha de usar essa saia, preferia estar de short, me sinto mais segura." Kellly Calin.

 "Tranquei minha faculdade por 6 meses, pois passei 3 anos de perseguição, hoje estou em outra unidade e até aqui está tranquilo, ano que vem me formo Advogada, graças a deus."  Diana Romri

Agente não somos vistos, temos vergonha de falar em público, pois ja sofremos demais.  Antonio Calon.
"Agente nao usa mais roupas tradicionais, porque fica mais fácil sermos aceitos pelos juren, tínhamos um grupo de dança, mas por falta de locais para se apresentar deixamos pra lá" Hiroana Calin

Carta Convite

A sociedade brasileira passa nos últimos anos por um processo de transformação social, política e cultural jamais vista em anos anteriores, a luta pela garantia de direitos às minorias étnico raciais, somados ao reconhecimento da necessidade de proporcionar a equidade social e o acesso à cidadania ativa, se configuram como um esforço para implementar políticas de ações afirmativas face ao contexto atual de garantia dos direitos humanos que se configura e que converge na primeira década desse século.

A Igreja Católica, aliada aos movimentos de organização pastoral que vislumbra a possibilidade de contribuir levando a luz do evangelho aos povos nômades, entre eles, ciganos, circenses e parquistas, conflui nesse pensamento quando, no estado do Rio Grande do Norte, tem promovido ações específicas de apoio aos ciganos distribuídos por mais de 25 municípios do estado, promovendo a discussão, a organização do processo de educação formal e não formal, associativismo e a busca da vivência das políticas sociais do Governo Federal em busca da cidadania e da garantia de direitos a quem historicamente teve negados pelo processo de exclusão social que imperou na organização social do nosso país.

Para tanto, a Pastoral dos Nômades do Brasil – com representação no estado do Rio Grande do Norte, tem a honra de convidar V.Sa. Para participar da 2ª Roda de Conversa “Cigana: identidades, memórias e resistências” em parceria com o Departamento de Antropologia Visual da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, que elaborou um projeto de Extensão Universitária em ação conjunta com diversas instituições sociais e tem, dentro do seu arcabouço de objetivos, alcançado metas que servirão de embasamento aos novos desafios postulados pelos sujeitos que vivem em condições de itinerância. O evento tem como objetivo, contribuir na discussão das questões de vida e permanências, educação escolar, saúde, acesso à Assistência Social e aos direitos sociais fundamentais para a convivência com os gajés, os não ciganos, como preconiza a Carta Magna da Constituição Brasileira.

Data: 04 de fevereiro de 2013.
Hora: 9 h ás 13 h
Local: Escola Municipal Macária Giffoni , Praça Calon, sn. Bairro Rainha do Prado. Florânia/RN
Apoio: Prefeitura Municipal de Florânia/ Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

Parcerias: 

UFRN – Departamento de Antropologia Visual
UFRN – CERES Caicó e Currais Novos
CEAT – Centro de Ações Educativas e Transformadoras
Pastoral Social da Arquidioce Metropolitana de Natal/RN
DHNET – Centro de Direitos Humanos e memória popular do RN


Seguem as fotos:







Nenhum comentário:

Postar um comentário