quarta-feira, 29 de julho de 2015

Sim, eu sou cigana "bacharela em Direito"



Desde a criação desse trabalho de blog, divido com nossos leitores a inserção de políticas públicas nas comunidades ciganas dos calons, mostramos aqui a vitória de muitos progressos, graças a Deus. mas ainda falta muito. Hoje, Gostaria de dividir a alegria da minha formatura no curso de Direito, contando um pouco do que passei até me formar.

Relato: 

Ao longo dos meus cinco anos de faculdade sempre imaginei que discurso faria no momento da minha formatura. Desde criança, minha brincadeira favorita era “polícia e ladrão”, eu adorava... rsrrs. 
O direito parecia estar no meu sangue. faz parte do ar que eu respiro.  Mas curso de direito era Impensável para uma cigana pobre e sem perspectivas. Como pagar um curso tão caro?

Em 2009, O governo anunciava bolsas de Estudo para quem tinha terminado o segundo grau na rede pública de ensino, mal podia acreditar. Era minha chance.
Começou aí uma corrida contra o tempo, em busca das documentações necessárias para “concorrer” a uma vaga, pois quem tinha as melhores notas ficava.Fiz a prova, consegui! tirei uma boa nota e iniciei meu curso. Mas quem disse que seria fácil? Na minha sala tinha 93 alunos. Eu era bolsista, assim como poucos colegas, que desistiram durante o curso devido às dificuldades financeiras, os livros eram caros, e as xerox eram intermináveis.

Durante o curso perceberam que eu era muito diferente, meus vestidos longos e aciganados, afastavam as pessoas. comecei a usar calça. Mesmo não gostando muito. falar língua com algum familiar no telefone, nem pensar! só se ninguém tivesse perto. Mesmo assim, a coisa complicou.

Em 2012 tranquei meu curso devido a alguns problemas de discriminação racial, que quase me levaram a uma depressão.  Meus trabalhos em grupo era eu e meu caderno. Mas Deus é bom, eu superei e voltei no semestre seguinte, em outra turma e unidade. Na mesma época, consegui um "estágio" como assessora jurídica na SEJUC – Secretaria do Estado de justiça e cidadania, e fui cedida a COEPPIR para ”estagiar” por 2 anos e graças a Deus saí com ótimas recomendações devido meu esforço e desempenho.

Veio meu TCC, mais um impasse. Meu orientador, não queria assinar meu tema:
“O racismo contra os ciganos do Rio Grande do Norte e suas possíveis implicações Jurídicas” ele dizia para mim que eu seria reprovada, afinal esse tema não seria bem visto, falando sobre ciganos... Insisti e assumi o risco. No dia da apresentação uma surpresa, uma das maiores notas da banca foi a minha. O primeiro TCC criminal sobre os ciganos do Estado nasceu.  Foi criado e aprovado pela banca. Mais uma vitória! Graças a Deus!

Entre suor, lágrimas, e muitas noites mal dormidas em cima dos livros da biblioteca, terminei meu curso. HJ recebo meu diploma com muito orgulho... me formei “bacharela em Direito”

"Obrigado ao professor Flávio José, meu padrinho de formatura, não poderia ter outro melhor."

Adriana Araújo
Bacharela em Direito - UNP/ Laureate International Universities.
https://unp.br/

feliz, porque Deus tudo pode, e ninguém pode mais do que Deus. só deus e mais ninguém!
“A você que me jogou pedras o meu muito obrigado, Foi com elas que construí meu castelo.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário