quarta-feira, 9 de outubro de 2013

"vila cigana de Tangará", um sonho próximo da realidade.

Em parceria com a prefeitura da cidade de Tangará, a União cigana do RN, reuniu-se extraordinariamente com a Secretária Estadual de Trabalho Habitação e Assistência Social - SETHAS, Shirley Targino, dando continuidade ao nosso projeto pioneiro da "Vila cigana", para a nossa comunidade, os únicos ciganos abarracados do Rio Grande do Norte, pleiteado via protocolo datado de março do corrente ano a execução do nosso projeto.

Na oportunidade a promessa da concretização do sonho da comunidade, o projeto "vila cigana", idealizado pela União Cigana do RN, através da nossa comunidade, em Fevereiro do corrente ano em favor dos ciganos de Tangará, conforme relato e publicação histórico implícito em nosso blog, sob url abaixo citada.

O compromisso firmado na reunião realizada entre a comunidade e a prefeitura da cidade, teve como finalidade estreitar os laços entre a prefeitura e a comunidade, para a inclusão das políticas públicas nos nossos ranchos, trazendo desenvolvimento sustentável as famílias de forma a resgatar sua cultura e costumes, pleiteado pela comunidade cigana, através da nossa associação. possibilitando o fim do marasmo de pobreza e dificuldade descritos no relato histórico documentado abaixo:

Seguem as fotos:

 Gija (Tangará), Diana (UCIRN), Shirley Targino (SETHAS)

Coordenadora estadual do Cád ùnico

Diana cig.


RELATO HISTÓRICO 

SITUAÇÃO ENCONTRADA NA COMUNIDADE CIGANA DE TANGARÁ.
(abaixo da foto o link de publicação na íntegra.)

Em 04 de Maio de 2012, no encontro Nacional de Saúde cigana, realizado em Brasília pelo Ministério da Saúde, a União Cigana do RN, denunciou pela primeira vez, através de um vídeo/fotos das barracas da comunidade, a situação calamitosa dos ciganos de Tangará, na ocasião, muitos que estavam presentes na Reunião em Brasília, não sabiam da existência de uma comunidade cigana inteira no Rio Grande do Norte nestas condições.


1. Em 16 de Fevereiro de 2013 - A situação não havia mudado, mesmo após nossas denuncias em Brasília, então, procuramos a  nova gestão da prefeitura da cidade que havia assumido a menos de dois meses, nós, COEPPIR, CEDH, e CRDH, Pastoral dos Nômades, etc. a situação era de pobreza, miséria, e muita dificuldade, a situação de miserabilidade encontrada foi a pior possível, com o sofrimento estampado nos olhos, Vi meu povo apreensivo, com medo de serem expulsos de suas barracas, de não ter para onde ir. 


2. Em 19 de Fevereiro de 2013 - A I reunião Ordinária entre as lideranças da comunidade, a Prefeitura de Tangará, membros da pastoral dos nômades, CRDH, CEDH, COEPPIR, aonde surgiu a ideia da vila cigana para a comunidade, Uma feliz coincidência, pois o Prof.º Flávio José de Oliveira, enquanto prefeito de Florania no período de 2005 á 2008, pôde contribuir com sua vasta experiencia, pois, investiu muito na assistência social para a comunidade cigana, visando suprir suas necessidades, e aumentando seu desenvolvimento.



3.  Em 16 de Abril de 2013 - O encaminhamento Emergencial dado na reunião acima; solicitamos a limpeza do terreno ocupado pelos ciganos (terreno de posse) e a instalação de barracas novas vizinho ao terreno (na rua inutilizada), até a finalização do projeto da vila cigana. (foram armadas 05 barracas azuis, e as demais na cor laranja,  haja vista a dificuldade de compra das barracas de repente.)

4. COMPARATIVO: 


Antes do nosso trabalho: 
Em meio ao lixo, pobreza, e sujeira, as condições sub humanas de sobrevivência dos ciganos que moram na comunidade, era desoladora.


Após nosso trabalho
A paisagem mudada, terreno limpo, organizado, barracas novas, passou-se a ter mais conforto para o povo cigano. Aonde com menos sofrimento se vivia melhor, se respirava ar puro.

É muito gratificante para nós que fazemos a União Cigana do RN, um dia ver que nosso projeto contempla mais e mais comunidades ciganas Brasil a fora, que nossa ideia se multiplique, afinal, cigano é cigano, em qualquer lugar.

Diana cig.

Nenhum comentário:

Postar um comentário